Copywriting: o que é, estratégias e como ser um copywriter

Copywriting o que é, estratégias e como ser um copywriter
O copywriting é essencial para empresas e pessoas, ajudando a direcionar a comunicação, seja em meio físico ou digital. Existem muitas técnicas de copywriting sendo divulgadas como a solução definitiva para os problemas, mas a coisa não é bem assim. É necessário ter atenção a alguns aspetos importantes na escrita persuasiva, afinal, não é somente sobre uso de gatilhos mentais.
Comece a ganhar dinheiro hoje.
Registe-se gratuitamente

Índice


O que é Copywriting?

Porque usar copywriting?

Onde o copywriting pode ser implementado

Qual a diferença entre redação publicitária e copywriting?

Qual a diferença entre marketing de conteúdo e copywriting?

Copywriter, copywriting e copy

O que faz um copywriter: no que ele pode trabalhar?

Como elaborar uma estratégia de Copywriting?

Como produzir copy para marketing digital

Boas práticas de copywriting

As 10 melhores técnicas de copywriting

O que não fazer no copywriting

Dicas para estudar copywriting

O que é Copywriting?

Se formos explicar de forma bem simplista, o copywriting é todo texto com intuito de venda. O seu foco é vender uma ideia, produto ou serviço, levando o leitor a uma determinada ação. É como se a pessoa que está redigindo o texto, estivesse de frente para a pessoa leitora e, não apenas explicasse do que se trata, mas também tivesse o foco de encantar.

Fonte: Freepik

E esse encantamento é planeado e direcionado a uma ação, seja uma compra, comentário, compartilhamento, discussão e muito mais. Engana-se quem pensa que a escrita persuasiva é usada somente para vender, na realidade, ela tem como objetivo, levar o leitor a uma determinada ação, seguir uma trilha ou simplesmente te convencer de uma determinada ideia.

Porque usar copywriting?

Existem diversos motivos que levam uma pessoa ou empresa a utilizar o copywriting, mas algumas são certamente mais conhecidas. Entre elas, está o foco em vendas, seja de um produto ou serviço. Por outro lado, há também outras utilidades para a técnica, menos conhecidas e igualmente interessantes. Conheça alguns casos em que ela pode ser empregada.

Incrementar as vendas

Um bom texto vende, isso é um facto. Seja no ponto de vendas (físico) ou por meio digital, um bom copy faz toda a diferença. Isso porque, ajuda a quebrar objeções, informa, mostra os benefícios e vantagens e claro, ajuda a dar aquele empurrãozinho para fechar a venda. Por isso, a técnica é utilizada à tanto tempo, sempre com resultados positivos.

Por outro lado, é preciso ter muito cuidado com a produção do copy, pois como muitas empresas têm investido nele sem técnica, acaba ficando maçante e menos funcional, levando até mesmo ao afastamento do cliente. Então, estudar e praticar as técnicas de copywriting é fundamental para conseguir atingir de facto o público-alvo e trazer os resultados esperados.

Gerar leads qualificados

Quando trabalhado corretamente, o inbound marketing é perfeito para aumentar a quantidade de leads para o seu negócio. Ainda melhor, pode-se separar em leads comuns e qualificados, onde neste caso, serão direcionados para a equipa de vendas. Para que o futuro cliente preencha o formulário ou clique no local designado, é fundamental utilizar o copy correto.

Uma das formas de conseguir leads através do copywriting é a disponibilização de materiais ricos para os prospects poderem baixar e usar, de acordo com a sua necessidade. Entre as opções estão e-books, textos condensados em pdf, modelos de estratégia, alguma ferramenta útil para a área, ideias de design, amostra de curso online e qualquer material que possa ser útil, a ponto de fazer com que eles deixem os seus e-mails.

Estimular determinada ação

Nem sempre o copywriting será utilizado para vendas que tenham como retorno o dinheiro. Ele é muito utilizado também em campanhas com o intuito de educar e estimular determinada ação. Por exemplo, campanhas de vacinação realizadas pelo Estado, a fim de estimular a imunização da população. Elas têm caráter informativo e sempre contam com uma chamada para a ação, buscando direcionar o comportamento humano.

Nas campanhas eleitorais, também se vê muito copywriting, seja ele bem utilizado ou feito de forma amadora. Gatilhos mentais como escassez, sensação de urgência e muitos outros, são utilizados de forma até irresponsável. O storytelling é marcante, mas se encontra demais a falta de compromisso e coerência, na busca da ação em manada e mudança de opinião.

Incentivar mudanças de comportamento

Muitas organizações não governamentais também utilizam um poderoso copywriting para arrecadar fundos ou apoio para as suas causas. Grandes exemplos desse comportamento são o Greenpeace e a World Wide Fund for Nature (WWF). Mas não precisa ser grande para utilizar o copy a seu favor, também pequenas instituições solicitam voluntários, doações e apoio através de e-mail ou textos divulgados em redes sociais e blogs.

Um caso relativamente recente que ajuda a compreender o poder do copy bem-feito é a redução do uso de canudos plásticos ou palhinhas, ao redor do mundo. Com o intuito de salvar animais marinhos, as Ongs engajadas conseguiram mudar a forma de pensar de uma geração, impactando um comportamento coletivo através do copywriting com storytelling.

Gerar engajamento

Nem sempre o objetivo de uma campanha é a geração de leads ou vendas. Ela pode estar buscando mais engajamento para a marca, ajudando a reforçar a sua imagem no mercado ou promover alguma ação ou novo produto. Dessa forma, os textos serão adaptados para que se consiga gerar identificação com o público, através dos gatilhos corretos, aumentando a interação.

Fonte: Freepik

Esse tipo de copywriting é exaustivamente utilizado em redes sociais de marcas e até figuras públicas, levando à produção de conteúdo direcionada para resultados. Deve-se ter cautela ao utilizar textos persuasivos, porém sem conteúdo relevante, pois em excesso, pode reduzir a credibilidade e ter um efeito contrário a longo prazo. Sempre usar a técnicas de copywriting baseadas em estratégia e com visão de longo prazo.

Promover a cultura

Seja a nível micro, como dentro de uma empresa, ou macro, com campanhas de massa realizadas por entidades de grande porte, você tem como promover uma determinada cultura através do copywriting. Por exemplo, cada vez mais as empresas estão tratando o tema diversidade e inclusão, mostrando ações concretas para fazer essa mudança.

O copy pode ser uma chamada no LinkedIn para chamar um determinado público para processos seletivos ou convites para treinamentos, palestras, e-books e outros materiais que possam levar a mensagem aos colaboradores e outros stakeholders. Nesse caso, o copywriting é essencial para atingir o público-alvo e garantir os resultados esperados, fixando ou ajudando a criar uma outra cultura na organização.

Onde o copywriting pode ser implementado

Como uma técnica de escrita voltada à persuasão, o copywriting deve ser implementado em todo material que tenha por objetivo levar a uma determinada ação. Observando o ambiente físico, como um supermercado, ele está em banners, cartazes com descontos, letreiros e até mesmo no roteiro das mensagens veiculadas no local.

Por outro lado, é na comunicação online que o copy reina, muitas vezes sem o devido cuidado. A linha entre uma escrita persuasiva e o exagero é tênue e se deve ter muito cuidado comisso. O principal ponto a ter atenção é manter o compromisso e coerência com o objetivo, porém sem exagerar nos gatilhos mentais e outras técnicas de copywriting.

Dessa forma, é importante ter uma equipa de copywriters bem treinada, com know how e que saibam escrever para o ser humano e não como robôs de otimização de site. E é aí que mora o perigo de não ter bons profissionais na sua carteira de colaboradores. Você pode aplicar copywriting em toda a sua comunicação, se quiser, mas a dose, tom e objetivos serão únicos e devem ser muito bem pesados.

Qual a diferença entre redação publicitária e copywriting?

Se você não é do ramo ou não produz conteúdo específico para estes nichos, pode ser que não veja diferença entre o que é copywriting e as suas diferenças para a redação publicitária. Isso é absolutamente normal, até porque o que diferencia ambas as escritas, é um detalhe, fundamental, mas para quem está de fora, é muito pequeno.

Para entender melhor, vamos primeiro de tudo, definir redação publicitária, para que assim se possa ter uma base sólida para a explicação.

O que é redação publicitária

A redação publicitária visa trabalhar a marca da empresa ou pessoa física, de acordo com a estratégia de branding adotada. É através dela que se pode dar o tom a uma comunicação, tendo uma fala característica, que reforça os valores de marca. Quem trabalha muito bem essa ideia da redação adequada ao branding é a Netflix, com as suas respostas certeiras, divertidas, engajadas e cheias de personalidade nas redes sociais. Veja como ela consegue reforçar a sua imagem no Twitter:

Netflix no twitter

Fonte: Netflix Brasil Twitter

Desde as palavras escolhidas, a estrutura da comunicação, o tom utilizado e a semântica, tudo é calculado para passar os valores da empresa, criando também mais proximidade com o público. Trabalhando junto à equipa de design, o redator publicitário escreve normalmente textos para chamadas em rádios ou comerciais veiculados em outros meios, anúncios diversos (outdoor, panfletos, banners online etc.) e outros meios de propagação.

A principal diferença

A grande diferença entre copywriting e redação publicitária é o foco. Enquanto na primeira o foco é conversão (venda, formação de leads, engajamento etc.), na segunda foca-se na construção da marca como um todo. Ou seja, esse tipo de redação está focado no branding da empresa, em como todo o seu discurso pode refletir os valores e o tom da marca. Já o copy, é um texto com foco em ação, levando o leitor a fazer determinada ação.

Vamos entender melhor essas duas definições com exemplos práticos. A Coca-Cola é uma gigante mundial, conhecida pela sua qualidade de comunicação. Veja como é clara a diferença entre o copy e a redação publicitária no seu site:

Pronto pra jogar?

Fonte: amostragratis.org

Observe que essa primeira imagem é o recorte de uma promoção, veiculada em um banner de destaque na página, sendo o primeiro elemento a ser visto. Ele tem a chamada "Pronto para jogar?", direta e com público-alvo específico. Logo em seguida, vem a chamada para a ação (ou call to action, como é mais conhecida no meio), "aceite o desafio". No imperativo, ele te induz a clicar e tentar a sorte no seu conteúdo interativo. Observe agora o próximo texto, também do site da marca:

Instituto coca-cola Brasil

Fonte: cocacolabrasil.com.br

Notou que falta o tom de urgência e a frase no imperativo? O texto também não leva a um desafio, material interativo ou outro material rico, na realidade, reforça o posicionamento que a marca quer manter, de inclusão e cuidado com o social. O link para conhecer sobre o projeto tem apenas o título do instituto e não uma call to action. Esse é um ótimo exemplo de redação publicitária somente.

Mas na escrita, nada é fixo, invariável. As modalidades podem se misturar e dar origem a novos tipos de copies ou redações. A Coca-Cola sabe usar com maestria o copywriting para reforçar a sua marca e levar o leitor a se aprofundar nas suas medidas, com forte apelo de persuasão. Olha agora essa mistura entre as duas formas de escrita persuasiva, se complementando e provando que não há certo ou errado, apenas boas e más aplicações das técnicas.

mundo sem resíduos

Fonte: cocacolabrasil.com.br

Agora que a diferença entre copywriting e redação publicitária já está clara, vamos partir para outra dúvida muito comum. Entenda como o copywriting está inserido no marketing digital, mais especificamente de conteúdo.

Qual a diferença entre marketing de conteúdo e copywriting?

O que é marketing de conteúdo

O Marketing de conteúdo é uma estratégia que está inclusa no marketing digital, sendo responsável pelo planeamento, organização e acompanhamento do conteúdo produzido pela empresa. É através dele, que se vai conseguir atingir os resultados, mas o marketing de conteúdo vai muito além do texto escrito. Ele inclui imagens, infográficos, link Building, otimização para SEO e muitas outras ferramentas e técnicas para cumprir o objetivo, como por exemplo, o copywriting.

Finalidades do marketing de conteúdo

O marketing de conteúdo tem por finalidade, atrair, converter, vender e fidelizar os consumidores, seja de conteúdo ou de produtos e serviços. Várias técnicas são utilizadas para isso, mas o que tem mostrado muito efeito é o inbound marketing:

Atrair: com a finalidade de trazer mais leitores para o site, landing page, rede social ou anúncios, utiliza-se técnicas como o SEO, títulos bem elaborados, pesquisa de palavra-chave de cauda longa e outras.

Converter: quando se fala de conversão, o copywriting está completamente atrelado. Isso porque é através dele que a produção de conteúdo, com base em estratégia, converte-se em vendas (produto ou serviço), engajamento, visitas ao site, leitura de novos artigos em outras áreas do site e muitos outros fins.

Vender: seja um produto, serviço ou ideia, o marketing de conteúdo objetiva a venda também, mas não somente isso. O conceito de sucesso nessa etapa depende da estratégia adotada e nem sempre a compra é o foco do texto. As vezes, é só manter uma base de leads, para ajudar a reforçar a imagem da empresa com o público-alvo, influenciando a tomada de decisão a longo prazo.

Fidelizar: tendo compromisso e coerência, fica mais fácil cumprir essa finalidade, já que não se trata apenas da produção de conteúdo e sim de fazer o público se sentir acolhido como ser humano, através da ferramenta adequada. Por isso, mesmo depois de realizada a ação esperada, eles continuam no fluxo de nutrição, fazendo assim parte dos fãs da marca, que trazem ótimos resultados para o branding da empresa.

Diferença principal

A principal diferença entre o copywriting e o marketing de conteúdo é que o primeiro faz parte do segundo, sendo assim - não são opostos ou diferentes, como se costuma pensar, mas complementares. O copy faz parte da estratégia de textos mais focados em vendas de produto ou serviço, além de conversão. Ele pode ser usado em parte de um artigo, como ao final em uma chamada para ação ou ao longo do texto, apresentando novos links e formulários.

Dessa forma, o copy é utilizado na estratégia de marketing digital, como uma forma de levar o leitor a novas ações no site ou fora dele. É uma poderosa ferramenta de vendas e conversão através de textos, seja por e-mail (no e-mail marketing), redes sociais, ads, artigo para blog e outros.

Copywriter, copywriting e copy

Já sabe o que é copywriting, mas o que significa copy ou copywriter? Entenda melhor cada um desses termos que, apesar de parecidos, têm significados diferentes.

O que é copy

Copy é o nome que se dá ao texto criado com o intuito de vendas, conversão ou qualquer direcionamento de ação, como por exemplo, levando o leitor a seguir a página, compartilhar conteúdo ou opinião, comentar o texto ou vídeo para todo o público, falar sobre o produto e muitas outras formas.

O copy pode estar presente em um texto publicitário, levando o público a uma determinada ação após a leitura, que não necessariamente é uma compra. E certamente está em textos de fundo de funil, assim como determinado tipo de conteúdo de meio de funil, como por exemplo, a chamada para o download de textos, produtos digitais gratuitos, ferramentas gratuitas e afins.

O que é um copywriter

Copywriter é o nome dado ao profissional que trabalha com copywriting, ou seja, a pessoa redatora que tem foco em conversão e vendas, atuando diretamente na formação de leads e outras funções ligadas - e já explicadas - ao copywriting. Com um foco bem definido, ele deve conhecer e dominar as técnicas de copy, porém sem deixar de lado a comunicação natural.

Fonte: Freepik

Além disso, é importante que ele entenda também de SEO, para poder levar a mensagem para um maior gama de leitores, atingindo mais facilmente o público-alvo, sempre com atenção para não deixar o texto muito voltado para os buscadores e menos para as pessoas que irão ler - elas são o foco da comunicação, sempre.

Diferença principal

Então, ambos os termos estão relacionados, mas são coisas diferentes. Copywriting é a técnica, copywriter é quem escreve e copy é o texto em si, com todas as técnicas empregadas e boa capacidade de conversão. Todos tratam de textos persuasivos, porém cada um com o seu papel no conjunto do copywriting.

O que faz um copywriter: no que ele pode trabalhar?

O copywriter tem o importante papel de colocar todas as técnicas de copywriting em um copy, deixando natural e eficaz, terminando assim em vendas de serviços ou algum produto, seja ele físico ou info-produto. Ter uma equipa com copywriters qualificados, leva o texto a uma leitura mais fluida, com maior engajamento, ampliando inclusive as chances de ganhar alguma prova social - avaliações, comentários e declarações de clientes satisfeitos.

Porém, o trabalho de um copywriter vai muito além das redes sociais ou e-mail marketing. Veja alguns exemplos onde ele pode empregar o copy com sucesso:

  • Peças publicitárias: apesar do copywriter aparentemente não ter ligação com a publicidade, ele pode ser requerido para redigir textos de vendas específicos em campanhas mais amplas;
  • Carta de vendas: antigamente, o copywriter escrevia uma carta de vendas com todas as qualidades e benefícios, hoje elas são muito mais raras, sendo substituídas pelas landing pages da internet;
  • Roteiro para telemarketing: vender um produto ou serviço por telefone requer habilidades e um bom roteiro. Este, é de responsabilidade do copywriter;
  • Artigos para sites ou blogs: talvez essa seja a forma mais comum de se esbarrar com o copywriting na internet. Mesmo sem perceber, grande parte dos textos apresentados tem algum tipo de copy;
  • Roteiros de vídeos: na leitura de um roteiro de vídeo, você já consegue perceber onde está o trabalho do copywriter, quando treinado, evidenciando os principais pontos que levam à decisão de compra, com prova social, benefícios e outros elementos;
  • Anúncios em rádios e outros meios: seja para anunciar um produto, serviço ou ação, o copy é útil e extremamente necessário, principalmente em canais onde é fundamental manter a síntese do conteúdo;
  • Campanhas de conscientização: o copywriting também pode ser utilizado em campanhas para mobilizar ações de pessoas e organizações, não necessariamente oferecendo um produto ou serviço.

Como elaborar uma estratégia de Copywriting?

Assim como toda empresa desenvolve estratégias de crescimento, de produto, de marketing e afins, também a comunicação persuasiva precisa de estrutura. E não é somente uma questão de tornar o trabalho mais fácil e organizado, mas também de entender aonde quer chegar, quais os meios para isso e como corrigir, caso apresente alguma variação no caminho. Veja quais são os principais pontos a se analisar.

Pesquisa

Antes de começar de facto a fazer a sua estratégia de copywriting, você precisa pesquisar bastante, conhecer o seu público-alvo. A seguir, é fundamental entender esse público como pessoas, entendendo mais a fundo as suas dores, motivações, aspirações e outros aspectos relevantes, que levam ao comportamento de compra.

Então, dá-se o nome de persona a esse personagem fictício, que envolve todos os aspectos do público e que irá embasar os estudos. É fundamental entender o que eles realmente querem, qual é o tipo de comunicação mais eficaz e outros detalhes que possam ser utilizados na etapa seguinte, a análise.

Análise

Tendo em mente qual é a persona atendida na sua comunicação, fica mais fácil analisar quais são os grupos semânticos mais adequados para o copywriting. Em outras palavras, quais são os grupos de ideias, palavras e expressões que melhor representam a necessidade e desejos desse grupo, devendo ser utilizados com maior frequência.

Também se pode extrapolar o estudo e entender quais são os melhores canais, horários de postagem e métodos de copywriting para cada um. Assim, pode-se determinar qual é o foco da comunicação e principalmente, aonde se deve chegar.

Objetivo

Claro que você já vai receber um objetivo estratégico, idealizado durante o planeamento do marketing digital e depois, mais recortado, no marketing de conteúdo. Porém, é importante definir as suas próprias métricas e objetivos, a fim de conseguir aprimorar cada vez mais as suas técnicas de copywriting.

Um bom exemplo de objetivo para copywriting é a quantidade de leads gerados com determinado tipo de chamada, fazendo testes A/B para ver qual funciona melhor e pode ajudar a conquistar os objetivos determinados. Mudanças são muito comuns, não apenas no início, mas em todo o processo, pois a comunicação está em constante adaptação.

Como produzir copy para marketing digital

Entenda quem é o seu público-alvo

Como já foi dito, é fundamental conhecer a sua persona, dores, objeções e tudo o que possa impactar no resultado do seu copy. dessa forma, fica mais fácil adaptar a linguagem e acertar na comunicação, fazendo com que os gatilhos certos sejam acionados, levando o usuário a ação.

Pesquise sobre temas relevantes

Não adianta falar sobre qualquer coisa so para ter conteúdo na página. É importante focar em temas que realmente façam sentido para a sua persona, dessa forma, fica mais fácil atrair novos prospects, gerar leads e consequentemente, vendas.

Crie um fluxo de conteúdo

É importante criar um fluxo de conteúdo, para não deixar somente artigos soltos, deixando o leitor com mais opções, incrementando assim o tráfego, permanência nas páginas e principalmente, autoridade no ramo. Naturalmente, a quantidade de conversões será maior também.

Crie um calendário editorial

Tendo todo o material prévio do planeamento em mãos, é hora de estabelecer um calendário editorial. Ele é fundamental para manter a constância e consistência nas postagens, levando por exemplo a maior credibilidade, tráfego, facilitando o acesso ao seu conteúdo e produtos pelo leitor.

Fonte: Freepik

O calendário editorial contém a data de publicação, tema, título, etapa do funil, pessoas envolvidas na produção de conteúdo e visual e status. Aproveite para criar campanhas temáticas com datas comemorativas, antecipadamente, facilitando assim o seu processo de geração de conteúdos ricos e afins.

Boas práticas de copywriting

Não adianta apenas escrever bem, deve manter a linha de conteúdos sob rígidas práticas de escrita, levando ao leitor, somente materiais de qualidade. Isso leva a um maior crescimento, vendas de produtos, maior chance de receber material para prova social e estimula as pessoas a engajarem com o conteúdo. Veja o que fazer para ter esses resultados:

Fale apenas a verdade

Vivemos na era da informação, não é ético e nem faz sentido mentir para o seu prospect, já que com poucos cliques, ele tem a verdade exposta nos buscadores. Quer ter confiança e reconhecimento? Seja confiável e respeite as pessoas que chegam até aos seus conteúdos, com práticas honestas e claras.

Compromisso e coerência

Não adianta ficar postando conteúdos expressando um determinado ponto de vista, se não é o melhor exemplo para as pessoas que visitam a página. O foco deve ser sempre no leitor, nas pessoas que estão a fazer com que a sua base de leads cresça e não na vontade de uma ou duas pessoas. Atenha-se ao planeamento, com compromisso de levar sempre o melhor e coerência nas suas ações.

Use os argumentos certos

Conhecer as suas personas é um trunfo poderoso, pois dessa forma, pode usar os argumentos mais adequados nos seus conteúdos. As pessoas gostam de se sentir compreendidas, ainda melhor se o leitor encontrar nos seus textos, a resposta para o que precisava. Então, foque na argumentação adequada e garanta mais sucesso na sua estratégia.

As 10 melhores técnicas de copywriting

Agora a melhor parte, uma lista com 10 pontos fundamentais para que o leitor aproveite os seus conteúdos, direcionando as suas ações para a conversão ou venda de produtos e serviços.

1. Abuse do storytelling

Contar histórias fascina, prende a atenção e faz com que os seus conteúdos passem a ter mais qualidade e conta como uma boa ferramenta de direcionamento da ação. Ajuda a eliminar objeções e fortalece algum conceito necessário.

2. Crie afinidade com a audiência

As palavras são perfeitas para gerar laços com o leitor, passando a empatia através de conteúdos bem estruturados, que ajudem a sanar as suas dúvidas. Um bom exemplo a se seguir é o da Netflix, como vimos acima, que utiliza uma linguagem própria e referências que criam essa aproximação.

3. Use gatilhos mentais com sabedoria

O mercado já está saturado de conteúdos repletos de gatilhos, levando um ar falso e até repulsivo à comunicação. O ideal é usar os gatilhos com sabedoria, escolhendo a hora certa de apresentá-lo ao leitor, sempre levando em conta o limite profissional, com palavras e ideias que não desrespeitem quem está lendo.

4. Crie conteúdos ricos (e-book, planilha etc.)

Se você pesquisar em inglês, vai encontrar muitos conteúdos ricos, pois eles já conhecem esse mercado à mais tempo. Abuse dos infográficos, planilhas, formulários e outros materiais que possam ajudar o seu leitor, ao mesmo tempo que ele dá os seus dados, aumentando o fluxo de nutrição de leads.

5. Conheça o seu público

Novamente essa dica aqui, mas é porque ela é essencial. Conhecer bem o leitor é garantir que terá mais leads, maior quantidade de prova social e outros, aumentando assim o seu conceito diante da audiência.

6. Prove o que você está a dizer

A tão comentada prova social - que é a avaliação que algum cliente fez da sua empresa, um caso de sucesso ou afins - ajuda a provar que está dizendo a verdade. Nada melhor do que contar com a opinião de quem já é cliente, certo?

7. Use em verbos de ação

Para estimular um comportamento, deixe claro qual é ele. Não espere que o leitor vá deduzir do que se trata e quais devem ser os próximos passos, deixe um caminho já sedimentado. Para isso, use verbos no infinitivo, que tenham relação com a sua estratégia e pronto.

8. Estabeleça o tom e a linguagem

Na estratégia de branding, você vai encontrar qual é o tom utilizado pela empresa e se há algum maneirismo ou caraterísticas de linguagem únicas. Todo o seu texto persuasivo deve ter esses elementos como estrutura, para manter as estratégias a um nível profissional.

9. Crie títulos que vendem

O SEO está em dia, as técnicas de copywriting perfeitas, mas quando o cliente vê o título na busca, não chega a clicar. Sabe onde pode estar o problema? No título e na meta descrição, então capriche na escolha dele e use sempre a palavra-chave do texto.

10. Antecipe as objeções

Durante a estruturação do seu copywriting, você deve focar na antecipação do que pode ser objeção para o seu cliente e procurar eliminar cada uma delas ao longo do texto. Essa etapa é fundamental para que você consiga uma maior conversão ou vendas, levando assim cada cliente a reforçar os resultados das estratégias do seu negócio.

O que não fazer no copywriting

Agora que já sabe o que deve ser feito na sua estratégia de copywriting, veja quais são os maiores pecados, que podem levar o seu texto persuasivo ao fracasso:

  • Não ter credibilidade: seja através do uso de um tom muito agressivo ou comunicação ineficaz;
  • Abusar dos jargões: é melhor evitar o uso de estrangeirismo e jargões, na maior parte dos produtos e chamadas;
  • Falar somente das características do seu produto: o foco deve ser nos benefícios que os clientes terão ao seguir a chamada para a ação;
  • Não dosar a quantidade de informações: pouca informação passa insegurança, já informações demais atrapalham a absorção. Pondere sempre a quantidade;
  • Texto de má qualidade: como nem tudo é quantidade, atenção também à qualidade do material veiculado, pois se o leitor achar o seu texto fraco, muito provavelmente não irá voltar.

Dicas para estudar copywriting

Para deixar tudo mais claro na sua mente, acompanhe algumas dicas especiais para deixar o seu copywriting cada dia melhor:

Agora que você já sabe como direcionar o público-alvo a tomar uma determinada ação através do copywriting, é hora de colocar em prática o que aprendeu e rever as suas estratégias de marketing. Ficou alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários e siga-nos nas redes sociais!

 

Publicados: 2022-03-25
Atualizada: 2022-04-14
Os seus comentários (0)
Os editores da WhitePress tem o direito de remover comentários ofensivos que contenham palavras vulgares ou não se relacionem com o assunto em questão.

O administrador dos dados pessoais é WhitePress sp. z o.o., com sede em Legionów 26/18 Street, 43-300 Bielsko - Biała, os seus dados pessoais são processados para efeitos de marketing da WhitePress sp.z o.o. e entidades interessadas em comercializar os seus próprios bens ou serviços. O objectivo de marketing da WhitePress sp.z o.o. inclui informação comercial sobre conferências e formações relacionadas com conteúdos publicados no separador Blog. A base legal para o processamento dos seus dados pessoais é a finalidade legítima prosseguida pelo Administrador e seus parceiros (Artigo 6 parágrafo 1 alínea f da GDPR). Os utilizadores têm os seguintes direitos: o direito de solicitar acesso aos seus dados, o direito de retificar, o direito de apagar dados, o direito de limitar o processamento e o direito de transferir dados. Pode encontrar mais informações sobre o processamento dos seus dados pessoais, incluindo os seus direitos, na nossa política de privacidade.

Ler tudo
  • Nenhum comentário sobre este artigo ainda.

O administrador dos dados pessoais é WhitePress sp. z o.o., com sede em Legionów 26/18 Street, 43-300 Bielsko - Biała, os seus dados pessoais são processados para efeitos de marketing da WhitePress sp.z o.o. e entidades interessadas em comercializar os seus próprios bens ou serviços. O objectivo de marketing da WhitePress sp.z o.o. inclui informação comercial sobre conferências e formações relacionadas com conteúdos publicados no separador Blog. A base legal para o processamento dos seus dados pessoais é a finalidade legítima prosseguida pelo Administrador e seus parceiros (Artigo 6 parágrafo 1 alínea f da GDPR). Os utilizadores têm os seguintes direitos: o direito de solicitar acesso aos seus dados, o direito de retificar, o direito de apagar dados, o direito de limitar o processamento e o direito de transferir dados. Pode encontrar mais informações sobre o processamento dos seus dados pessoais, incluindo os seus direitos, na nossa política de privacidade.

Ler mais
Artigos recomendados